sábado, 19 de novembro de 2011

O amor nunca existiu



No dia em que passares
sem que eu me vire para te olhar,
é motivo para pensares,
que deixei de te amar.

É que o olhar indiferente
dói mais que uma bofetada;
é desprezo de um ser ausente,
é não sentir absolutamente mais nada.

E se mais nada sinto,
pensa bem no que passou,
não era amor, não minto,
a paixão que nos enlaçou.

Tu feriste, espezinhaste,
com tamanha dimensão,
que contigo levaste
o meu triste coração.

Neste momento ficou vazio
das emoções que senti,
ficou duro, só e frio,
sem nada do que vivi.

E se o que vivi é nada,
nada agora e para sempre,
é porque para a alma despedaçada,
tornou-se tudo indiferente.

E se um dia te atreveres
a bater de novo à porta,
crê: é melhor esqueceres,
o amor nunca existiu
e a saudade é ela morta,
porque o nosso amor ruiu.

(Nem sempre expressamos o que sentimos e, neste caso por exemplo, o meu eu poético cria o que, felizmente, não sinto, mas que sei que muitos sentem! Nunca esquecer que, como dizia Fernando Pessoa, "O poeta é um fingidor")

13 comentários:

  1. Oi,Célia! Sorte tua não sentir isso nesse exato momento quando o assunto é amor eu me sinto tão perdida, ando tão sem saber o uqe esperar.
    Beijosss

    ResponderEliminar
  2. Célia, o poema é lindo e fico feliz por ti quando garantes que "... o poeta é um fingidor...)
    Beijo

    ResponderEliminar
  3. Célia, porque não fotografas e postas a escola decorada?
    Seria muito giro.
    Beijo

    ResponderEliminar
  4. Celia,sempre é bom colocar esse alerta no final,porque eu tb faço muito isso,especialmente nas blogagens coletivas que participo: encarno o personagem da poesia,mas aquela história não tem nada a ver com um momento meu!Ficou primorosa e sensivel sua poesia!A pior coisa é mesmo a indiferença!Bjs,

    ResponderEliminar
  5. Tuas inspirações poéticas são lindas sempre.Essa mais uma! beijos,lindo domingo!chica

    ResponderEliminar
  6. Passei por aqui hoje, li seu poema com a minha mae e gostamos. beijos

    ResponderEliminar
  7. Ficou perfeito e real Célia. Genial!
    Beijos e boa noite!

    ResponderEliminar
  8. Escreveste as palavras do meu coração, sou poeta e as vezes nem sinto aquilo que escrevo, como vc mesmo disse, serve para alguém, e esse texto me caiu como uma luva, perfeito, se me permitir gostaria de postar em meu blog, beijos e bom dia

    ResponderEliminar
  9. oi Celia,

    adorei que sejam escritas de um fingidor...
    lindo poema minha querida...

    beijinhos

    ResponderEliminar
  10. sentido ou não são lindos versos querida..
    beijos perfumados..

    ResponderEliminar
  11. Célia gostei muito do poema, e concordo que todo poeta é um fingidor. Imagine se não fosse!Ótima semana cheia de coisas especiais e muitas energias positivas nos seus dias. Beijos grande!

    ResponderEliminar
  12. Muito bem lembrado Célia, nem tudo o que a gente escreve está exatamente acontecendo conosco, ser um "fingidor" é uma arte, rsrs.
    Parabéns pelo poema!

    Beijos

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...