terça-feira, 18 de setembro de 2012

Luta inglória


(imagem do google)

O que há em mim hoje
é a solidão existencial
que me deixa à deriva.
Procuro-me no vazio
e encontro o nada.

Há momentos na vida
em que somos soldados da paz,
espalhamos amor,
vivemos amizades,
partilhamos respeito,
proclamamos fé,
seguros de nós,
auto-confiantes.

As dúvidas derrubam-nos
as certezas que se tornam questionáveis.
Demoramos anos a acreditar
em coisas que, num minuto,
perdem a credibilidade.

Vem a ansiedade
semear na alma o desespero.
Vem a angústia
questionar a fé
e pô-la à prova.
Vem a desilusão,
qual vendaval,
levar o amor
soprando-o até ao abandono.
Vem a falsidade
qual sismo
abrir fundas fendas
no sentido
da própria vida.
Vem a insegurança
roubar a autoconfiança,
deixar o ser na solidão.
O ser antes confiante
é hoje alguém que jaz,
só, triste e errante.

E o soldado da paz
deposita as armas no chão,
cansado de lutar sozinho
por uma causa que cria nobre,
mas que não passa de causa vã.

(Assim andamos, portugueses desanimados e fartos de lutar pelo país, sem que nada mude!)
                                                                        Célia Gil

18 comentários:

  1. Há momentos de em tudo desacreditar, parece que caem tetos sobre nossas cabeças. Mas são momentos...

    Porém quando esses momentos são relativos aos governos e políticos, a coisa fica bem pior. Eles usam e abusam e o povo sofre... Pena!

    Lindíssimo teu poema e inspiração! beijos,chica e lindo dia!

    ResponderEliminar
  2. oi Celia,

    pena que a sua inspiração de hoje,venha da falta de consciência de quem está conduzindo,
    e o povo que sofre as consequências...
    sempre!!!

    beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Bom dia,Célia!Aqui no Brasil a coisa não anda muito diferente também,nada muda a corrupção toma tamanhos gigantescos e o povo continua sem pão na mesa e nada muda.Nessas horas nem sei o que pensar ou te dizer...
    Beijosss

    ResponderEliminar
  4. Não estás só nesse belo clamor!

    Saudades das aulas, eu?
    Jamais!
    Sinto uma libertação do tamanho do universo.
    Bom ano, amiga!

    ResponderEliminar
  5. Olá querida Célia!
    Sei bem como é essa solidão, sei bem o que é muitas vezes ficar cativa da dor, mas como a Chica falou, 'passa'.
    Agora quanto ao desassossego que o governo nos causa, esse é mais difícil consertar ou passar, mas passa também, mas deixa muita miséria.
    Um beijo em seu coração e que a paz reine em sua vida e em seu país.

    ResponderEliminar
  6. Oi Célia,
    Estou num momento pessoal difícil e o poema me tocou profundamente.
    Espero que as coisas se acertem em Portugal. Sou uma brasileira com um coração lusitano.
    xoxo

    Gosto disto!

    ResponderEliminar
  7. OI CÉLIA!
    TENHO VISTO ATRAVÉS DA BLOGOSFERA O DESÂNIMO E DESILUSÃO QUE NESTE MOMENTO TOMA CONTA DOS PORTUGUESES,É TRISTE VER UM POVO QUE É FELIZ POR NATUREZA ESTAR PASSANDO POR ISSO, MAS, TORÇO PARA QUE TIREM FORÇAS DE ONDE PUDEREM E NÃO DESANIMEM, POIS SÓ A CRENÇA NO PODER DE MUDANÇAS PODERÁ FAZER A DIFERENÇA.
    UM TEXTO LINDO EM SUA TRISTEZA.
    ABRÇS
    zilanicelia.blogspot.com.br/
    Click AQUI

    ResponderEliminar
  8. Compartilho "estou solidária c todos os portugueses, pois sou uma filha de Portugal e amo essa terra..."As armas no chão, mas o coração não "ele está batendo forte ¨¨vive!
    Não se pode perder a fé*...Têm que lutar!Unidos!
    PoemA verdadeiro, lindo sim.
    e não há mal q sempre dure!
    beijinhos PAZZZZ

    ResponderEliminar
  9. Há momentos de desânimo, sim, mas temos que acreditar que os superaremos. Lindo poema!
    Beijos
    Lita

    ResponderEliminar
  10. Minha querida

    Uma grande verdade, estamos sem rumo e sem futuro, como sempre adorei ler-te.
    se quiseres ler o que escrevi sobre isso, pela primeira vez saí da minha maneira de escrever.

    Deixo um beijinho e agradeço a carinhosa visita no aniversário do meu blogue.
    Sonhadora

    ResponderEliminar
  11. Célia,
    a situação aqui no Brasil também não está diferente.
    Greves e mais greves. Caos na saúde, educação, segurança...
    Só não podemos perder a esperança e o desejo pela mudança!

    Abraços,
    Carol
    www.umblogsimples.com

    ResponderEliminar
  12. Celia,sua poesia me emocionou!Torço pelo povo portugues que tem sofrido tanto nos ultimos anos!Fez um apelo á volta da esperança e que ela volte a brilhar nos olhos dos portugueses tão queridos!bjs e meu carinho,

    ResponderEliminar
  13. Olá,Célia!!!

    Belíssima poesia!!!Que novos e melhores tempos venham...
    Beijos e meu carinho amiga poetisa!

    ResponderEliminar
  14. Olá Célia,

    Me sinto uma soldado da paz, este poema me emocionou muito.
    Vc é fantástica, que Deus abençoe todos vcs.
    Bjs

    ResponderEliminar
  15. QUERIDA AMIGA, vou precisar me afastar por uns trinta dias, não ando bem, ando vazia, oca, vou tentar me reencontrar, deixei um último texto lá, até a volta, beijos Luconi

    ResponderEliminar
  16. BOM DIA AMIGA !!!!!
    O VERDE SEMPRE NOS MOSTRANDO A ESPERANÇA...
    POEMA MUITO FORTE E REVELADOR PARA QUEM TEM SOFRIMENTO EM CONJUNTO COMO ESSE POVO DO OUTRO LADO DO MAR...DESEJOS PARA O RETORNO VOLTE PARA SEU LUGAR...
    BJSSSSSSSSSSSSSSS

    ResponderEliminar
  17. Olá, parabéns pelo blog!
    Se você puder visite este blog:
    http://morgannascimento.blogspot.com.br/
    Obrigado pela atenção

    ResponderEliminar
  18. Olá, parabéns pelo blog!
    Se você puder visite este blog:
    http://morgannascimento.blogspot.com.br/
    Obrigado pela atenção

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...