quinta-feira, 4 de abril de 2013

memórias de croché



Vejo-te na extensão verde de um sofá
tricotando memórias de renda.
O teu ar sereno conta-me histórias
que eu bebo na minha sede de ti.

A minha mente, poderosa de imaginação,
transforma o sofá num campo verde
onde os cheiros concorrem
para o pódio da sedução.

E tu, impávida, de sorriso nos lábios,
enlaças a linha em rosas perfumadas
que estendes em tapetes de histórias
para que eu receba todas as personagens
diretamente no meu peito
e fiquem perpetuadas na memória.

 

13 comentários:

  1. Lindas recordações, Célia. Muito bem entrelaçadas, a cada pontinho, a cada palavra... beijos,tudo de bom,chica

    ResponderEliminar
  2. Perfeito!
    Feliz de quem teve a benção de receber magia enquanto mãos serenas se moviam.
    Tão bonito!
    beijo

    ResponderEliminar
  3. Que lindo, Célia! Sou crocheteira e adoro linhas.
    Vou compartilhar no FB.
    Tenha um ótimo restinho de semana!
    Bjs

    GOSTO DISTO!

    ResponderEliminar

  4. Olá Célia,

    Seus versos me levaram até a minha mãe, sentadinha no sofá e fazendo lindas peças de tricô e crochê. Até hoje, com 87 anos, é o robe preferido dela.

    Doces memórias através de seus lindos versos.

    Beijo.

    ResponderEliminar
  5. Obrigada pelos carinhos,que teu fim de semana seja lindo! Tudo de bom! Tudo bem por aí? beijos,chica

    ResponderEliminar
  6. Olá,Célia!!

    Que saudades de te ler!! A correria do dia á dia faz o tempo voar, e quando percebemos passou vários dias!!!

    Versos lindos, suaves, cheios de boas lembranças de carinhos...
    Beijos e meu carinho!
    *Espero que sua Páscoa tenha sido abençoada.
    E seu pequeno/grande escritor, como está?!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada! Andamos mesmo sempre ocupadas, nem sei se vale a pena tanta correria... O meu filhote lançou mais dois poemas numa antologia. Qualquer dia publico-os. Bjs

      Eliminar
  7. Que doce poesia.
    A memória é a única coisa que não podem tirar de nós.

    M&N

    ResponderEliminar

  8. Olá Célia,

    Com relação ao seu comentário na postagem 'Dor', concordo que não é fácil recebê-la tão amistosamente, mas creio que é único jeito de deixá-la partir espontaneamente, sem marcas mais profundas.

    Obrigada pela presença e comentário.

    Belos dias para você.

    Beijo.

    ResponderEliminar
  9. Re
    cor
    da
    ções...
    lindo texto.
    Bjins
    entre sonhos e delírios
    Catiaho Alcantara/Reflexo d'Alma

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...