terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Perda da inspiração

(imagem do Google)


Fecho a porta da sala e dos segredos
com um arrebatador estrondo no peito,
o piano jaz mudo e contrafeito
pedindo ainda a carícia dos meus dedos.

Mas a inspiração dissipou-se,
a música perdeu a harmonia
e toda a casa emudeceu, silenciou-se,
evaporando-se com ela a fantasia.

E, lágrimas vindas directamente
de uma alma inconstante,
desavindas, teimosas, persistentemente
dilaceram-me como um punhal cortante

ferindo no fundo de mim,
sem motivo ou razão aparente;
com atitude fria e indiferente
dizem-me “chegou o Fim!”
                                              Célia Gil

3 comentários:

  1. lágrimas são o curso normal da desolação
    que do curso da alma desaguam até à foz
    estranhas são as razões da inspiração
    quando o silêncio se torna a sua voz

    mas todos os rios renovam o seu leito
    todos os narcisos voltam a desabrochar
    e todas as estações nos passam pelo peito
    da devastação até um novo raiar...

    ResponderEliminar
  2. A poesia inspira poesia... Obrigado eu.

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...