terça-feira, 22 de novembro de 2011

Pensamentos divergentes




O sujeito poético que há em mim
Gosta de, por momentos, divagar,
Não sei mesmo onde se vai inspirar
Para me surpreender tanto assim.

Foge e esconde-se em recantos sem fim
Esvai-se sem que o consiga apanhar,
E quando persisto em o encontrar
Pergunta-me o que faço e porque vim.

Transfigura-se em seres tão diferentes…
Não sei se é de propósito ou despeito,
Deixa os meus sentimentos dele ausentes.

Não sei mesmo se é sina ou se é defeito
Que o leva a sentimentos divergentes,
Destes que latejam só no meu peito.


18 comentários:

  1. Celia,vc é incrivel!Vai no fundo de nossa alma com seus belos poemas!Genial!Bjs,

    ResponderEliminar
  2. A poesia que moa em ti vai aos mais profundos lugares e traz essas belezas que escreves sempre!

    beijos,chica e tudo de bom!

    ResponderEliminar
  3. Oi Célia,
    Mais um poema belíssimo. Seus poemas tem um ritmo que levam a uma musicalidade perfeita!
    Beijos 1000 e uma noite maravilhosa para vc.

    www.gosto-disto.com

    ResponderEliminar
  4. Bom dia Célia, um lindo Soneto que retrata bem o que vai na alma de um poeta.
    Beijos e lindo dia!

    ResponderEliminar
  5. Querida tia Célia,
    Gostamos muito de conhecer o seu bloguinho.
    Você escreve muito bem.
    Obrigada pelo seu carinho, viu?
    Um lindo e abençoado dia
    Lambeijos e Ronrons de
    Pepi e Xixo

    ResponderEliminar
  6. Ops, voltamos
    Lambeijos para o Dragão do
    Pepi

    ResponderEliminar
  7. Olá,Célia!!!

    Ah!Querida...não é sina nem defeito...é TALENTO!!!Que lindo seu poetar!!!!
    Beijos pra ti!!
    Tudo de bom!
    *Obrigada pelo carinho!!!! :)

    ResponderEliminar
  8. Lindíssimo poema minha querida...um misto de profundidade e sensibilidade que impressionam...beijinhos
    Valéria

    ResponderEliminar
  9. Célia
    Já se nasce poeta e você é perfeita!
    Adoro ler os seus lindos poemas!
    Abraços e tudo de bom!

    ResponderEliminar
  10. Talvez, eu não sei, seja a divergência buscando perfeição ou a si mesma. Só sei que no fundo nascem coisas tão lindas que transbordam nosso coração. Que bom que deixa fluir essa mistura de pensamentos e sentimentos para nos preencher com palavras tão belas.

    ResponderEliminar
  11. Olá Célia,
    Interessante como o poeta se sente em relação às suas inspirações. Mais interessante ainda são essas divergências de sentimentos entre o sujeito poético e o poeta.
    Belo soneto!
    Beijos.

    ResponderEliminar
  12. Olá Célia, o meu "sujeito poético" nunca apareceu =)
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  13. Olá Celia! Conheci seu blog hoje e fiquei um bom tempo lendo seus poemas lindos! Encantador!
    Você escreve muito bem!Já estou te seguindo!Se quiser me visitar será muito bem vinda no meu espaço!!

    Beijos infinitos para ti!

    ResponderEliminar
  14. Gostei!
    Chama-me conservadora, mas continuo muito sensível à estrutura do soneto.
    Beijo, minha linda e modernaça amiga.

    ResponderEliminar
  15. q lindo!!!! estava com saudade d passar por aqui! bjs

    ResponderEliminar
  16. Esta inspiração que vem da alma é tão rapida que foge de nossos pensamentos....
    Amiga linda noite para você ,,,
    Poema que encanta e bastante profundo ,,,,
    tem sentimentos,,,,alma de poeta,,,
    beijos de luz

    ResponderEliminar
  17. Não é sina nem defeito é sentimento dentro do peito querida!!
    Beijos e me perdõe a falta de tempo esta semana!!
    :D

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...