quarta-feira, 9 de novembro de 2011

As fechaduras da memória


(imagem do google)

Nos recantos da memória,
guardo as ilusões de menina,
ainda menina rabina,
que de tudo faz uma história.

Guardo os sonhos que sonhei,
os momentos que vivi;
são tantos que já nem sei
se de algum me esqueci...

Guardo as partidas que preguei,
o choro, o grito, o riso, a gargalhada,
guardo os que mais amei
e guardo as paisagens de África.

E os recantos da memória,
guardados bem guardadinhos
são recantos com história,
escrita em velhos pergaminhos.

Cheiram já a naftalina,
e, às vezes, abro uma das fechaduras
para deixar entrar a neblina
e libertar da opressão as minhas venturas. 
                                                             Célia Gil


13 comentários:

  1. Essa menina lindinha eras tu em pequenina?
    Recordar é, realmente, viver ou, pelo menos, reviver.

    Minha linda, quanto ao aroma, nem sei que diga.
    Aceito, muito grata a oferta, já que, por aqui, não conheço essa loja. Ao referir a vontade de o adquirir foi porque, como já deves ter reparado, gosto de detalhes, de pequenas coisas que fazem a diferença e nunca cometeria a grosseria de recusar uma oferta tão simpática.

    Por mail, mando-te o meu contacto.

    Beijo e muito obrigada pelo gesto tão doce.
    Nina

    ResponderEliminar
  2. Que lindo e tão profundo!!!São tantas lembranças amareladas, guardadinhas e por vezes abrimos as portas das suas salas para fazê-las refrigerar...
    Muito lindo! beijos, tudo de bom,chica

    ResponderEliminar
  3. Eu também guardo tudo...são as nossas memórias, são pedaços de nós.

    Vim retribuir a visita que agradeço, Célia.
    Vou linkar o seu blog para estar atenta às postagens. Um beijinho, Ana.

    ResponderEliminar
  4. OI QUERIDA!!!!
    QUE DELÍCIA VIR AQUI, DEPOIS DE LER ESTAS PALAVRAS, SAIO COM O CORAÇÃO CHEIO DE ENCANTAMENTO!
    OBRIGADA PELO CARINHO NO TRÉSORS!!!!
    BEIJINHO

    ResponderEliminar
  5. Quantas memórias tenho guardadas,
    mas já não consigo soltá-las,
    perdi a chave num dia
    em que pensei abafá-las.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  6. Que lindo!!!
    Obrigada querida pelo carinho no blog!

    Bjss e uma maravilhosa noite!!!

    http://www.toutlamour.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  7. Ai,Celia!Sempre que venho aqui vc me faz suspirar!Simplesmente linda memoria de menina!Amei!Bjs,

    ResponderEliminar
  8. Oi amiga
    fiquei feliz com sua visita no meu blog
    obrigado pelo carinho.
    Quanto ao seu texto... também me perco
    em lembranças do que passou..
    sinto necessidade de recordar passagens que me deixaram feliz e das coisas não tão boas que me fizeram amadurecer e ser uma pessoa melhor.
    Bjus querida e volte sempre que puder e tiver vontade.

    ResponderEliminar
  9. Recantos muito preciosos amiga Célia. Adoro-os sendo meus e os dos outros também.... a biografia humana sempre me fascina.
    Beijos e boa noite!!

    ResponderEliminar
  10. Oi Célia, como sempre teus poemas são cheios de reflexão e beleza!
    Um lindo dia!

    ResponderEliminar
  11. Tão bom recordar, ainda mais quando as lembranças são tão lindas.

    Beijos

    ResponderEliminar
  12. Olá,Célia!!

    Também tenho muitas memórias bem guardadinhas...e as vezes abro e dou uma espiadinha...umas ainda reluz com o sol, outras estão tão apagadinhas...deve ser um bom sinal...as apagadinhas é as que me causaram tanta dor e tristeza...e estas estou conseguindo me despedir...desapegar.
    Minha querida amiga, te ler é um prazer, já te disse que tua sensibilidade me encanta!E gosto muito da maneira que vê a vida!
    Beijos pra ti!!!Tenha um ótimo dia!!
    **A menina na foto é você?!

    ResponderEliminar
  13. Oi Célia que poema mais gostoso de ler,
    Também de vez enquando abro para matar a saudade...
    Que menina linda!
    Boa noite
    beijos

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...