sábado, 3 de setembro de 2011

Quando a velhice se apodera da alma

Célia Gil
Como amanhã estou fora (serei madrinha de casamento de um primo a uns kilómetros daqui), deixo a postagem hoje:

(imagem do Google)

Olhos enrugados e encovados
espreitam inertes a vida que já não é,
olhos vividos e parados
de quem perdeu do arco-íris a fé.

E os dias passam repetidamente
cravejando rugas, acumulando anos,
sem aura de futuro neste presente
de tantas mágoas e desenganos.

As lágrimas secaram, a boca silenciou
toda a esperança e emoção…
A razão de viver apagou
o passado do cansado coração.

Entristeço por ver morrer lentamente
toda a vossa força de viver
e não estar de todo em meu poder
devolver-vos o brilho nos olhos
e desenhar-vos um novo arco-íris na mente.
                                                     Célia Gil




Célia Gil / Professora

É professora de português e professora bibliotecária. Gosta de ler e de escrever. Este é o seu espaço de partilha de alguns textos que escreve.

14 comentários:

  1. Essa é a mais triste velhice...Eu diria, uma coisa horrorosa até!


    Linda poesia! beijos,chica

    ResponderEliminar
  2. Tenho muita pena dos velhos que enfrentam uma velhice deste tipo:falta de amor,a ausência da família e muita solidão.
    Minha mãe faleceu em 2009 com 87anos, e apesar da presença dos filhos(as),netos e amigos, ela sempre me dizia "ser velho minha filha é perder a identidade".Os amigos da minha época já se foram e o mundo hoje é muito diferente.
    Um abraço e bom fim de semana!!
    Emilinha

    ResponderEliminar
  3. Celia,
    Gostaria de lhe enviar um e-mail, pode me mandar seu endereço? Mande um e-mail para anasantos_rj@ymail.com
    Vou lhe aguardar.
    Beijos e boa viagem!

    ResponderEliminar
  4. Adorei seu blog.
    Amei tudo que li aqui.
    Voltarei sempre que puder...
    Se quiser, dá uma passadinha no meu também... Quem sabe não gosta e fica.... 
    Com certeza retribuirei a gentileza.

    http://cristalssp.blogspot.com

    Beijos 
    Ani

    ResponderEliminar
  5. Olá,Celia!!

    Que linda e sensível poesia querida!!
    É a velhice mais triste...quando permitimos que a alma envelheça...

    Beijos pra ti!!Bom passeio!!Casamentos são sempre emocionantes!

    ResponderEliminar
  6. Ah mniha querida Célia!As vezes não há como não perder a esperança,não perder o brilho nos olhos a realidade é tão diferente de tudo o que nos ensinaram...
    beijossss

    ResponderEliminar
  7. Viva a vida com muito amor.
    Mate saudades,enquanto é tempo.
    Peça perdão ,mesmo que seja você o ofendido.
    Recupere o tempo perdido ,procurando ser feliz nas coisas de Deus.
    Faça um carinho,alegrando alguém que esta triste.
    A todo instante,fale uma palavra especial para
    quem necessita ouvir.
    Com seu amor podera fazer mudanças em muitas vidas.
    Creia você pode não mudar tudo nesse Mundo.
    Mais poderá fezer no coração de muitos.
    A morada de Deus.
    Um Domingo na paz e na luz de Jesus.
    Bjs no coração.
    Evanir

    ResponderEliminar
  8. Essa forma de envelhecer entristece a alma!

    Beijos

    ResponderEliminar
  9. Olá Célia!Passando para desejar-lhe uma ótima semana!
    Beijosss

    ResponderEliminar
  10. Não gostaria de envelhecer assim, invadida por solidão...triste...

    ResponderEliminar
  11. Olá, parabéns pelo lindo blog, já estou seguindo e aproveito para convidá-la à participar do meu blog, bjs e sucesso!!

    ResponderEliminar

Coprights @ 2017, Histórias Soltas Presas Dentro de Mim Designed By Templatein | Histórias Soltas Presas Dentro de Mim