quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

O quintal da minha infância



(imagem do google)

Aquele quintal cheira a momentos que passaram, embebidos de naftalina para não se deixarem corroer pelas traças do tempo.
E nesta porta que abro esporadicamente, sempre que preciso de alento, remexo com uma chave preciosa na fechadura velha e ferrugenta, que teima em não se deixar abrir, que é a minha chave, só minha. A chave da minha casa de Luanda. Quando consigo, é uma batalha ganha às traças do tempo. A naftalina dissipa-se para deixar entrar todos os aromas que envolveram a minha infância. Cheira a camarão, a flores, a tremoços, a cerveja, a gasosa, a mangas, a fruta pinha, a mamão, a felicidade, a amor, a carinho, a gente, a suor, a mãe e pai, a água, a vida.
Mas abro a porta muito devagarinho. Quero comprazer-me com cada segundo que me é concedido, com todos os pormenores acessíveis à visão e ao olfacto.
Espreito, pela porta entreaberta, e vejo-me lá, um metro de gente, a saltar, a correr atrás de um cão rafeiro muito esperto, a rir alto e com vontade, a andar de triciclo, a refrescar-me numa mangueira que rega as flores e árvores dos canteiros, a sentar-me ao colo do meu pai, que ri e conversa alegremente. Paro e tento escutar o que dizem nessas conversas. Só ouço pequenos fragmentos de conversas soltas, que não sei precisar, e que não é importante precisar, porque estão felizes e isso é o que importa. Provavelmente contam peripécias do dia-a-dia, pequenos acontecimentos que servem para uma tarde bem passada entre amigos e familiares. Já não interessa o que dizem, só o que sentem e a alegria em que estou. Vejo-nos sair. Escondo-me atrás de um muro alto que se situa perto da porta. Sigo-os, sigo-me de olhos bem abertos, não querendo perder o rumo dos seus passos. Entram num carro azul, um Datsun azul, com muito bom aspecto, e sigo-os. Param junto a uma geladaria, perto de uma rotunda com palmeiras, e entram, alegres e confiantes. Estão felizes.
Regresso, então, ainda enlevada pelas gargalhadas. Hoje bebi uma refrescante limonada de memórias e sinto-me reconfortada e fresca. Guardo a chave no bolso, bem guardada, porque sei que, quando estou triste, preciso dessa chave mágica, para me dar um pouco de acalento aos dias mais cinzentos da minha vida.
                            Célia Gil

11 comentários:

  1. Bom dia,Célia!!

    Ah!!Minha querida que lindo e emocionante!!!!Estas lembranças são preciosas!!!
    Também adoro esta "refrescante limonada de memória", enche meu coração de alegria e ternura e claro muito amor pelo que vivi e recebi!!!!Fazem parte de mim, e jamais me lamento pelo que passou.Temos tantas memória a mais para construir, né?!!!Só podemos agradecer por poder sempre dar um espiadinha!!!rsrs
    beijos pra ti!!!!

    ResponderEliminar
  2. Oi Célia,
    Adorei visitar o seu quintal da infância e ao ler o texto comecei a ingressar no meu tb!
    Gostaria de convidar para o “Sorteio Encantado”, em comemoração dos 2 anos do meu blog.
    Beijos 1000 e uma 5ª-feira maravilhosa para vc.

    http://www.gosto-disto.com/2012/02/sorteio-2-anos-do-blog-giveway-2-years.html

    ResponderEliminar
  3. Tão lindo tudo ! E como é boa essa certeza de estar com a chave que pode abrir as portas para esse lugar mágico das recordações...beijos,chica

    ResponderEliminar
  4. oi Célia,

    nossa,
    que delicia essa viagem mágica,
    indo com você,soltei-me
    nas minhas próprias lembranças
    e que delícia poder ter acesas as chamas do que nos foi
    tão importante...
    adoro essa nostalgia com cara de saudade...

    beijinhos

    ResponderEliminar
  5. A medida que fui lendo o seu texto fui recordando da minha infância. Lembranças bem guardadas no fundo da memória. Deu-me saudades... Adorei passar por aqui...Bjss

    ResponderEliminar
  6. Oi,Célia!Saudades de vir aqui, estou votlado aos blogs.Ah que iamgem linda a infância é um mundo de sonhos e de lembranças, vale a pena sempre recordar...
    Beijosss

    ResponderEliminar
  7. Ai Celia, fui com vc brincar nesse quintal!Uma beleza de texto,eu adoro!Bjs,

    ResponderEliminar
  8. Oi Célia,
    Hj tem uma surpresinha para vc lá no blog. Assim que puder, dê uma olhada.
    Beijos 1000 e um ótimo final de semana para vc.

    http://www.gosto-disto.com/2012/02/sorteio-2-anos-do-blog-giveway-2-years.html

    ResponderEliminar
  9. Bom dia,Célia!!!

    Tenha um ótimo final de semana querida!!!Espero que consiga descansar um pouco e aproveitar!!!Merecido depois de tanto trabalho né?!!!Beijos pra ti!!!
    Até segunda!!!

    ResponderEliminar
  10. Adorei e viajei ao teu quintal.
    Muito, muito lindo amiga!
    Beijos Célia e bom carnaval!!

    ResponderEliminar
  11. Nossa demais, nem sei se gosto de voltar na infância e resgatar as lembranças do que prefiro esquecer. Hoje vivo o dia, tentando resgatar esperanças do que ainda me resta viver. Se Deus assim me permitir, quero ver meus filhos totalmente crescidos sem de mim depender. Para olhar e ter convicção que consegui chegar ao término de umas das minhas missões e descansar um dia com prazer.

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...