sábado, 17 de novembro de 2012

Para sempre, meu amor!

Célia Gil


(imagem do google)

Posso fechar os olhos,
perder-me,
adormecer,
esquecer-me quem sou,
que vou reconhecer-te sempre.
O teu cheiro,
os teus dedos na minha face,
a tua pele na minha,
a tua voz sussurrante
no meu ouvido,
o teu carinho…

Posso estar a entrar
no meu último sono,
que ainda abrirei
uma última vez os olhos
só para te ver,
te absorver
e te levar comigo.

E quando me cerrares as pálpebras,
beija-as mais uma vez,
para sentir o calor dos teus lábios,
na minha fria tez.
Não me dês agora a nossa flor,
vou de tudo despojada,
mas não vou desamparada,
que levo o teu amor.
                              Célia Gil

Célia Gil / Professora

É professora de português e professora bibliotecária. Gosta de ler e de escrever. Este é o seu espaço de partilha de alguns textos que escreve.

18 comentários:

  1. Bom dia,Célia!Que lindos versos quem ama e é amado nunca está só.
    Um ótimo fim de semana!
    Beijosss

    ResponderEliminar
  2. Olá Célia, maravilhoso poema de amor bordado a nostalgia. Adorei. Beijos com carinho

    ResponderEliminar
  3. Muito lindo esse amor,Célia! Linda poesia merecedora dele! beijos,chica

    ResponderEliminar
  4. oi Celia,

    que lindo minha amiga,
    eu adoro o cheiro do meu marido,
    seria capaz de reconhecer a quilômetros de distância,
    quem a gente ama tem um cheiro inigualável e inconfundível...

    beijinhos

    ResponderEliminar
  5. Que poesia mais linda!
    O amor é mesmo assim, eterno, pleno, sublime.
    Nos leva a uma conexão diferente com o parceiro. Algo que nunca nos permite sentir solidão, pois ainda que distante, está sempre conosco, guardado ao fundo do coração. (:

    Beijos!

    ResponderEliminar

  6. ╮✿ °•.¸

    Amor eternamente...
    Boa semana!
    Beijinhos.
    Brasil

    ¸.•°✿⊱╮╮
    ✿ °•.¸

    ResponderEliminar
  7. Linda declaração de amor!
    O teu quotidiano está pesadíssimo, um horror, amiga.
    Beijo

    ResponderEliminar
  8. Minha querida

    Quando o amor é grande vai para além do tempo...eterniza-se dentro de nós.

    Um beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderEliminar
  9. Volto pra agradecer e dizer que fico feliz em te ver! beijos,lindo dia, bons trabalhos,chica

    ResponderEliminar
  10. Célia, vais ver que quando deixares de dar aulas, o trabalho não diminui, pelo contrário.
    Hoje interrogo-me como tinha tempo para dar e preparar aulas.
    Mulher sofre!!!!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  11. Oi Célia,
    O poema é lindo e enternecedor!
    Beijo imenso!

    GOSTO DISTO!

    ResponderEliminar
  12. Oi Célia,

    Ainda não tinha lido um poema de amor tão lindo.
    Fiquei encantada.

    Beijo.

    ResponderEliminar
  13. Amiga Querida.
    Seu poema tocou fundo meu coração.
    Quando amamos e somos amada
    vai além do tempo , alem da vida vai para eternidade.
    Beijos feliz final de semana,Evanir.

    ResponderEliminar
  14. Tacteei minha sombra caída
    Os ramos de uma magnólia cedem ao vento
    Ergui num deserto um castelo de raivas
    Segui numa distância infinita ladrilhada de mágoas

    Já não posso dar-te a mão, cheguei tarde
    Entre ruinas procuro o sentido, a razão
    Já não canto aos deuses, não rezo
    Já esqueci o sabor do desprezo, não desprezo

    Tracei um círculo de solidão
    Ausente do meu nome está o chamamento
    Jazem mudas as folhas de silêncio
    Errantes brumas ao sabor do vento

    Bom fim de semana


    Doce beijo

    ResponderEliminar

Coprights @ 2017, Histórias Soltas Presas Dentro de Mim Designed By Templatein | Histórias Soltas Presas Dentro de Mim