quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Quando a morte vier

Célia Gil
(imagem do Google)

A noite acolhe o meu corpo cansado,
embalando-lhe os sonhos
e brincando com eles.

Envolve-me com os seus braços
longos de escuridão
e afaga-me os cabelos
revoltos no travesseiro.

Beija-me as pálpebras
com suaves lábios frescos
e deixa-me repousar
vigiando-me o sono.

Quando a morte vier
que seja como a noite,
que me acolha lentamente nos braços,
me envolva com suavidade
e me leve a alma
em doces sonhos eternos.
                                  Célia Gil





Célia Gil / Professora

É professora de português e professora bibliotecária. Gosta de ler e de escrever. Este é o seu espaço de partilha de alguns textos que escreve.

16 comentários:

  1. Todos esperamos que no dia em que ela vier, que seja branda.Assim a queremos pra nós e para os nossos...Linda poesia!

    ResponderEliminar
  2. Ops: esqueci de mandar o beijo...chica

    ResponderEliminar
  3. Querida Célia parabéns!
    Poucas vezes vi alguém falar sobre a morte com tanta leveza e beleza.
    Beijos e bom dia!!
    Carla

    ResponderEliminar
  4. Olá Célia, se a morte vier, que seja como na tua última estrofe!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  5. Oi Célia,
    Adorei o poema. Encantador!
    Beijos 1000 e uma 4ª-feira maravilhosa para vc.

    www.gosto-disto.com

    ResponderEliminar
  6. Olá! que blog legal!!
    Estou te seguindo!!
    gostaria que participasse da promoção no meu blog.
    http://artesanatosdadaninha.blogspot.com/
    Valendo 1 Kit da Hak aviamentos. Vale a pena!!!
    convide as amigas, assim terá mais chance em ganhar. bjss

    ResponderEliminar
  7. Olá, Célia!!

    Belíssimo minha querida...quero que seja assim também...
    Beijos pra ti!!!

    ResponderEliminar
  8. Todos esperamos que ela chegue para nós lenta e suave, que não nos faça sofrer e que nos leve mansamente, sem dor, assim imaginamos e queremos, lindo poema , beijos

    ResponderEliminar
  9. que lindo minha doce amiga a´te que se for asim a morte não assusta tanto,se for calma doce e serena
    que seja como um sonho bom,ja que é inevitavel um abraço com carinho bjs marlene

    ResponderEliminar
  10. O poema é muito bonito, gostei!

    Beeijão,

    Taíssa.
    http://garotaspuroluxo.blogspot.com

    ResponderEliminar
  11. Mas enquanto ela não chega
    e deixe que se demore,
    melhor viver cada dia,
    cada segundo pleno de intensidade...

    Beijo, querida!

    Marlene

    ResponderEliminar
  12. Celinha
    Eu também a quero, quando ela tiver que chegar, que seja do jeitinho que você descreveu tão linda e suavemente. Bjkas com muuuuuuuuuuito carinho!Te adoro!

    ResponderEliminar
  13. Célia,que seja doce nossa partida!Linda demais sua poesia!Bjs,

    ResponderEliminar
  14. Encantador, lindo e suave... amei
    Boa noite.. bjss

    ResponderEliminar
  15. Célia
    Da maneira como você descreveu, suave e tranquila, é como deveria ser e espero que seja.
    Beijos

    ResponderEliminar
  16. Está corretíssima!!! O rio da nossa vida e os caminhos que trilhamos devem ser desenhados desta maneira bela e delicada que acaba de nos presentear...
    Abraços

    ResponderEliminar

Coprights @ 2017, Histórias Soltas Presas Dentro de Mim Designed By Templatein | Histórias Soltas Presas Dentro de Mim