terça-feira, 29 de agosto de 2017

Marina, Carlos Ruiz Záfon

Célia Gil
Hoje trago uma sugestão de leitura a não perder:

Zafón, Carlos Ruíz (2010). Marina. Grupo Planeta: Lisboa.




Marina é um romance mágico de memórias, escrito numa prosa ora poética ora irónica, assente numa mistura de géneros literários (entre o romance de aventuras e os contos góticos) e onde o passado e o presente se fundem de forma inconfundível.
Este livro propõe ao leitor uma reflexão continuada sobre os mistérios da condição humana através do relato alternado de três histórias de amor e morte.
Ambientada na cidade de Barcelona, a história decorre entre Setembro de 1979 e Maio de 1980 e depois em 1995 quando Óscar, o protagonista, recorda a força arrebatadora do primeiro amor e as aventuras com Marina, recupera as anotações do seu diário pessoal e revisita os locais da sua juventude.
«Marina disse-me uma vez que apenas recordamos o que nunca aconteceu. Passaria uma eternidade antes que compreendesse aquelas palavras. Mas mais vale começar pelo princípio, que neste caso é o fim.»
Um misto de segredos, perseguições, morte, doença, amizade, amor, espionagem, sofrimento, saudade, que nos absorvem numa leitura que se torna voraz, empolgante e emocionante, quer pela história em si, quer pela dança de palavras com que o autor nos presenteia. É esta forma de escrita que nos leva a querer voltar um pouco atrás para reler certas passagens, que ficam a martelar pelo seu conteúdo e beleza.


Carlos Ruiz Záfon nasceu em Barcelona em 1964. Inicia a sua carreira literária em 1993 com El Príncipe de la Niebla (Prémio Edebé), a que se seguem El Palacio de la MedianocheLas Luces de Septiembre (reunidos no volume La Trilogía de la Niebla) e Marina. Em 2001 publica A Sombra do Vento, que rapidamente se transforma num fenómeno literário internacional. Com O Jogo de Anjo (2008) regressa ao Cemitério dos Livros Esquecidos. As suas obras foram traduzidas em mais de quarenta línguas e conquistaram numerosos prémios e milhões de leitores nos cinco continentes. Atualmente, Carlos Ruiz Zafón reside em Los Angeles, onde trabalha nos seus romances e colabora habitualmente com La Vanguardia e El País.

Célia Gil / Professora

É professora de português e professora bibliotecária. Gosta de ler e de escrever. Este é o seu espaço de partilha de alguns textos que escreve.

5 comentários:

  1. Oi Célia,
    Li vários livros do Zafon, este foi o que menos gostei, mas sei que foi o primeiro livro que ele escreveu, talvez faltasse técnica, não sei...
    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom dia Betty, confesso que também não foi dos meus preferidos, mas senti curiosidade ao ler que era aquele com que o autor mais se identificava. Beijinhos

      Eliminar
  2. Boa dica e indicação! Linda semana! bjs, chica

    ResponderEliminar
  3. Olá Célia, excelente autor. Grata pela sugestão de leitura.

    Boa semana/*beijos*

    ResponderEliminar
  4. Célia, gosto imenso desse autor.
    Obrigada pela sugestão.
    Beijinhos

    ResponderEliminar

Coprights @ 2017, Histórias Soltas Presas Dentro de Mim Designed By Templatein | Histórias Soltas Presas Dentro de Mim