terça-feira, 19 de fevereiro de 2019

Dualidade

Célia Gil
No país que em mim habito
não há lugar para a hipocrisia,
é um imaginário mundo bonito
de amor, cumplicidade e fantasia.

Neste lugar em que a concórdia mora,
habitam sentimentos que são só meus,
e tudo quanto me magoa, lá fora,
não entra neste meu reino dos céus.

Se assim não fosse destilaria maldade,
não seria,de todo, confiável,
lançaria o meu fel a qualquer oportunidade,
deixaria de ser eu, de ser amável.

Esta dualidade que em nós existe
espera uma brecha para se manifestar,
uma crueldade latente que não desiste
e insiste em de nós se apropriar.

Não quero perder de todo a razão,
e fico quieta no meu vagar,
calando em vão o coração,
que teima sempre em se manifestar.

                                                   Célia Gil


                     (imagem pesquisada em https://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=246168)



Célia Gil / Professora

É professora de português e professora bibliotecária. Gosta de ler e de escrever. Este é o seu espaço de partilha de alguns textos que escreve.

1 comentários:

  1. Lindo,Célia e temos que colocar pra fora sentimentos. Adorei ver e ninguém concorda com hipocrisia ,mas pena, anda tanto em alta!!! bjs, chica

    ResponderEliminar

Coprights @ 2017, Histórias Soltas Presas Dentro de Mim Designed By Templatein | Histórias Soltas Presas Dentro de Mim