segunda-feira, 19 de março de 2012

Pai

Célia Gil

Onde quer que estejas, pai, sei que me vês, sei que me sorris e guias a minha vida. Aqui deixo os poemas que te escrevi quando adoeceste. Partiste tão jovem, com apenas 49 anos, tendo eu 23 e sinto-o sempre como se fosse hoje.
 

(imagens do google)

Teus olhos tão cansados de existir
poisam nos meus com ternura e carinho,
e na vã aparência de um sorrir,
sofres teus pesadelos tão sozinho!

Uma tragédia desola teu peito,
sonhos, ilusões morrem no teu rosto.
Também é meu esse sonho desfeito.
Também é meu todo o teu desgosto!

Pensa que não estás só, eu estou contigo!
Se quiseres chora em meu colo amigo,
de resto,  incapaz  ante o teu sofrer.

Se pudesse, ouve, tudo faria,
Contigo teu sonho construiria
Assim, só te resta o meu bem-querer!
                                                    Célia Gil
 

Quero gritar ao mundo a minha dor
para assim  aliviar esta tensão,
derramar lágrimas de dissabor
que andam perdidas no meu coração!

Queria ser como Asclépio, feiticeira,
para poder recuperar a vida
e dá-la a quem por ela em vão suplica,
a quem se sente sem eira nem beira.

Assim, resta-me apenas a esperança
ainda que ténue, ainda que vaga,
de poder beijar tua face branca,

ainda que por segundos de angustia.
Erguer os meus grous e flores de astúcia
e libertar-te de tão triste saga.
                                                             Célia Gil
 

É tão doloroso viver sem ti!
No meu peito sinto, apertado, um nó,
e quantas lágrimas por ti verti?!
Agora, meu querido, estou tão só!

Se recordo o passado em que te tinha,
vislumbro a tua imagem já cansada,
a tua dor que também foi minha,
a tua face tão amargurada...

Ah!, poder eu tirar-te à morte fria,
E nos meus braços aquecer teu ser.
Dar vida ao teu corpo que ali jazia,
sangue para em tuas veias correr.

E poder falar-te, acarinhar-te,
contar-te a minha vida, o mundo duro.
Ver-te sorrir, e, sem dores, ouvir-te
dar-me conselhos úteis para o futuro!
                                                    Célia Gil
                                                          

Se, sem dó, me levaste meu pai querido,
leva minh'alma que se t'oferece
Nada em mim mais vive! Só agradece
que recolhas meu ser enlouquecido!

Dói em meu peito o peso das saudades.
Lágrimas de um profundo sentimento,
são vestígios de cruel sofrimento.
É um viver de inúteis ansiedades.

a quem darei o Amor que por Ti sinto?
A minha mão já não aquece a tua,
minhas lágrimas não fazem viver

teu ser por quem sinto carinho infindo.
O meu olhar e minha face nua,
anseia tanto ver-te renascer !
                                                          1993
                                                    Célia Gil



Célia Gil / Professora

É professora de português e professora bibliotecária. Gosta de ler e de escrever. Este é o seu espaço de partilha de alguns textos que escreve.

12 comentários:

  1. Olá,Célia!!

    Puxa querida...estes poemas tocam fundo na alma.Fiquei emocionada,nem sei o que dizer...
    Bela homenagem!Plena de amor e saudade!
    *Que passeios incríveis estas fazendo com seus alunos!Deve ser mesmo um prazer, poder mostrar coisas novas que muitos, talvez ,nem teriam a oportunidade de ver...
    Beijos!

    ResponderEliminar
  2. Linda e triste homenagem ao teu pai de quem tantas saudades ainda hoje tens! beijos,linda semana,chica

    ResponderEliminar
  3. Oi,Célia!Apesar de sabermos que a morte é a única certeza que temos na vida,nunca estaremos prontos para essa separação,mas é como tu mesma disse ele onde estiver estará sempre te acompanhando e guiando teus passos.Linda homenagem.
    Beijossss

    ResponderEliminar
  4. Imagino a falta que ele te faz! Sua homenagem é linda, parabéns Célia.

    Beijos

    ResponderEliminar
  5. Oi Célia,
    Não posso ler todos estes poemas, pois no primeiro eu já estava chorando...
    Sinto muita falta do meu pai.
    Beijos 1000 e uma ótima semana para vc.

    www.gosto-disto.com

    ResponderEliminar
  6. Íntimo, profundo, doce e doloroso a uma só vez.
    Beijo

    ResponderEliminar
  7. Querida Amiga.
    Foi chorando que li seu poema vim aqui para matar as saudades
    por estar ausente por uma grande necessidade .
    Eu esqueci que hoje é dia dos pais em Portugal.
    Senti de tudo um pouco minha amada eu também já não tenho pai a muitos anos.
    E para mim parece que foi ontem a sua partida.
    Beijos no seu coração lindo.
    Feliz semana.

    ResponderEliminar
  8. Minha querida

    Uma homenagem muito bela e sensível ao seu pai.
    Com o passar do tempo fica uma saudade doce.
    Um beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderEliminar
  9. Querida Amiga
    Poemas escritos pela saudade de seu lindo coração!
    Sei perfeitamente o que é esta eterna dor! Pois meu papai para o ceu com 29 anos de idade, e quando eu era apenas uma pequenina menina de apenas trés aninhos. Sofri e sofre até hoje por não me recordar de seu rosto, mas o que conforta é a lembrança carinhosa de sua presença em minha vida!
    Tenho a certeza que mesmo indo para o ceu ele sempre estive e está comigo!
    Só o Amor pode confortar a dor da saudade!
    Amiga tenha um lindo dia!
    abraço muito amigo!
    Com Carinho
    Maria Alice

    ResponderEliminar
  10. O Poeta é um fingidor,
    finge tão completamente que chega a
    fingir que é dor a dor que deveras sente .
    *Fernando Pessoa*
    Um Feliz Dia Internacional Da Poesia
    Creio Que Existe Em Todos Nos Um
    Cantinho De Poetar No Coração.
    Mais Esse Dom Não Foi Dado
    A Todos.
    Um Abraço Carinhoso Pelo
    Dia Internacional Do Poeta.
    De Um Dia Tão Importante Para Todos Nos.
    Tem Um Mimo Na Postagem .
    Caso Gostar Foi Feito Com
    Muito Carinho.
    Beijos e Beijos.
    Evanir.

    ResponderEliminar
  11. Lindo.
    Quando falamos com a alma, expressamos melhor através das palavras.
    Bjs

    ResponderEliminar

Coprights @ 2017, Histórias Soltas Presas Dentro de Mim Designed By Templatein | Histórias Soltas Presas Dentro de Mim