sexta-feira, 13 de maio de 2011

Também as feras amam


(imagem do Google)

Assim é a condição
de quem nasce selvagem.
Vê o perigo à espreita,
sempre desconfiado.
Mas os filhos tem protegidos,
crias que trata
com amor e dedicação.
Depressa se transforma
e, de fera bestial,
passa a mãe zelosa,
até mesmo possessiva.
E quando o amor surge,
os olhos feros suavizam,
as expressões se amenizam
e quase sorri…
Ama com entrega total,
que essa forma de entrega
é também ela animal.
Leva ao extremo a paixão,
capaz até de matar,
se alguém se intromete
perde de todo a razão.
É o instinto que a guia
se acaso a enfrentam,
mas quando a acarinham, mostra
que as feras também amam.
                                Célia Gil


3 comentários:

  1. Saber chegar e oferecer o carinho às feras...sejam de 2 ou 4 patas,rsrs...

    uma linda tarde, beijos,chica

    ResponderEliminar
  2. Volto a publicar este texto porque o servidor do blogger esteve fora de serviço e perdeu-se este texto bem como os comentários. Obrigada pela compreensão e desculpem o transtorno!

    ResponderEliminar
  3. Muito belo o texto amei a foto linda. Esta certo que ela protege aqui os seus genes, mas é fato existe. E ainda são irracionais? como entender as palavras abstratas, não confio em nenhuma palavra abstrata.
    Um abraço!

    ResponderEliminar